Grace Kelly, A Princesa Que, Ainda Hoje, Mónaco, Espanha, Apesar De Charlene 1
Beleza

Grace Kelly, A Princesa Que, Ainda Hoje, Mónaco, Espanha, Apesar De Charlene

Hoje, desaparecida Grace e falecido em 2005, seu pai, Raimundo, que nunca se recuperou da perda, Mónaco imediatamente não é o que era. E é que Alberto, o atual soberano, um homem muito mais tímido e introvertido, não tem a devastadora personalidade de seu pai. Mas menos ainda a sucessora de Grace, Charlenne, atual primeira-dama, consegue, apesar de seus meritórios esforços, atingir o esplendor do mito de hollywood, que conseguiu iluminar com seu brilho pessoal, o Principado.

Alta, loira e de olhos claros, é verdade que tem certa semelhança física com Grace, que seus assessores do palácio Grimaldi preocupam-se com potenciar imitando penteado, maquiagem e carísima roupa de assinatura que parece. Mas ainda há entre as damas, existe um abismo, porém há que reconhecer que o estímulo de ser a sucessora de Grace Kelly não é nada fácil.

  1. Excelentes propriedades elétricas como isolante
  2. Algumas terapias
  3. 10-Cama e uma Mesa [Cover Roberto Carlos]
  4. Olhos incríveis

Só no final do século XVI, esta tendência se quebrar em benefício da fantasia e da riqueza decorativa com o maneirismo. O Quattrocento, teve seu centro nervoso em Florença e Toscana. A simplicidade e compreensão estrutural e decorativa foi o traço fundamental da arquitetura de instante.

Os modelos clássicos são submetidos a um recurso de estilização e se adaptam ao templo cristão. Foi constante recorrer a ordens clássicas, com colunas e pilastras em banda, colchetes (com preferência a corinto, mas substituindo os caulículos por figuras lindas ou de animais), fustes lisos e quase onipresença do arco de meio ponto. Utiliza-Se também a abóbada de berço e de aresta, e cobertas de madeira com painéis.

O Cinquecento teve como centro de Roma: em 1506, Donato Bramante terminava seu célebre projeto pra Basílica de São Pedro, no Vaticano, que seria o edifício que marcou a pauta no restante do século XVI. Nesta fase, os edifícios tendem mais pra monumentalidade e a grandiosidade.

Miguel Ángel introduziu a “ordem gigante” em teu projeto para a basílica vaticana, o que rompeu com o conceito de “arquitetura feita à quantidade do homem”. Os palácios, adornada com baixos-relevos elaborados (palácio Grimani de Veneza, 1549, obra de Michele Sanmicheli) ou de esculturas isentas (Biblioteca de São Marcos, 1537-1550, Veneza, obra de Jacopo Doador).

Predominaría, em vista disso, a ideia de riqueza, monumentalidade e luxo nas construções. “maneirismo”, que se oferece a começar por 1530, sendo seus principais autores Andrea Palladio, Giorgio Vasari, de Giulio Romano, Jacopo Vignola e Vincenzo Scamozzi. Há que apontar que a ruptura do maneirismo, não foi radical, pelo motivo de pela obra de Miguel Ângelo, aparecem elementos que a preludian.

Na pintura, as novidades do Renascimento foram introduzidos de modo gradual, todavia irreversível a partir do século XV. No Quattrocento (século XV), foram coletadas todas estas novidades e se adaptaram à nova mentalidade humanista e burguesa que se expandia pelas cidades-estado italianas. Os pintores, mesmo tratando de focos religiosos, a maioria deles, introduziram assim como em suas obras a mitologia, a alegoria e o retrato, que foram desenvolvidas de agora em diante enormemente. Uma busca frequente dos pintores desta época seria a expectativa, o equipamento de estudo e reflexão para muitos artistas: tratou-se de aparecer a ilusão de espaço tridimensional de uma forma científica e regrada.

A pintura do renascimento é uma época de experimentação; as pinturas deixam lenta e progressivamente a rigidez gótica e se aproximam cada vez mais da realidade. Aparece a natureza retratada em fundos de composições, e são introduzidos os nudez nas figuras.